Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘pato no tucupi’

Em ambiente simples e despojado na região do Bexiga, o paraense Paulo Leite, oferece sucos e batidas de frutas como cajá e cupuaçu, tacacá (com caldo de tucupi, goma de mandioca, folhas de jambu e camarão seco), peixes como pirarucu e tambaqui, preparados na chapa, maniçoba (carnes de porco e bovina na pasta de folhas de mandioca) e o clássico pato no tucupi.

O cardápio do restaurante é composto simplesmente pelas mais tradicionais comidas da região como o pato no tucupi, a maniçoba, a caranguejada, o pirarucu. Não é uma característica da casa servir releituras com ares de gastronomia contemporânea. A intenção é manter a tradição dos sabores da região. 

Aberto todos os dias para almoço, e de quinta a domingo para o jantar. Aos sábados, domingos e feriados, servimos no almoço o famoso Buffet dos Sete Clássicos, Pato no Tucupi, Peixada, Caranguejada, Maniçoba, Vatapá do Pará, Caruru, Pirarucu.

R. Rui Barbosa, 206 – Bela Vista – Centro

 Telefone: (11)3142-9264.

Anúncios

Read Full Post »

Pato no tucupi é um prato brasileiro típico da culinária paraense. É elaborado com tucupi, líquido de cor amarela extraído da raiz da mandioca brava, e com jambu, erva típica da região norte. Pode ser acompanhado por arroz branco ou farinha-d’água de mandioca.

O tucupi e o jambu também estão presentes em outra iguaria paraense à base de camarão chamada tacacá, muito preparado no período do Círio de Nazaré.

Ingredientes:

2 patos médios (cerca de 1 kg cada)
5 limões
5 cabeças de alho
2 xícaras (chá) de vinho branco
21 pimentas-de-cheiro
sal a gosto
6 litros de tucupi
1 maço de alfavacas
1 maço de chicórias-do-pará
6 maços de jambu

Modo de preparo:

Em um recipiente junte o suco dos limões, 3 cabeças de alho socadas, o vinho branco, 1 pimenta-de-cheiro, sal e água a gosto.
Adicione os patos e deixe descansar pó um dia na geladeira. Asse-os em forno preaquecido, a 180ºC, por aproximadamente 90 minutos. Ferva o tucupi com 3 pimentas-de-cheiro, 2 cabeças de alho, a alfavaca, a chicória-do-pará e sal.

Depois dos patos frios corte em 4 pedaços. Em uma panela colo que 2 litros do tucupi temperado e ferva os pedaços de pato até que fiquem bem macios. Desosse os patos.

Escolha as folhas do jambu com os talos mais tenros, escalde-os em água fervente com sal. Escorra e reserve.

Amasse o restante das pimentas-de-cheiro com sal e 1 dente de alho socado, completando com tucupi quente. Coloque os pedaços de pato em um prato de sopa e cubra-os com jambu e o restante de tucupi. 

Sirva com arroz, farinha d’água e molho de pimenta.

Read Full Post »

Uma festa popular é um ato de preservação das tradições de um povo. Um dos aspectos que mais caracterizam as tradições é a culinária. No Brasil não é diferente, cada Estado  tem a culinária específica para cada festa.

Janeiro

A Festa de Reis é comemorada em todo o país. Tradicionalmente, em comemoração a São Sebastião come-se bacalhau no Pará, na Bahia, no Ceará e no Maranhão.

 

 

 

 

Fevereiro

O Carnaval é comemorado de varias formas por todas as partes do país, os mais famosos são os comemorado no Rio de Janeiro e na Bahia. Na Bahia come-se filhoses, bolinhos de trigo com ovos e manteiga, escaldado em água fervente, depois frito e servidos com calda de açúcar, cravo, erva-doce e canela.

 

 

 

 

 

 

                                                                                                                                                            

 Março/Abril

 É comemorada a Semana Santa, onde na sexta-feira da Paixão não se come carne vermelha, aumentando bastante o consumo de peixes, principalmente o bacalhau. No Espírito Santo come-se a torta capixaba que leva peixes e mariscos.

 

 

 

 

Maio

 A Festa do Divino Espírito Santo é comemorada em todo o Brasil. E Pirenópolis, GO é ser galinha, empadão goiano, arroz com pequi e leitão à pururuca. Em Diamantina, MG há pão de queijo, feijão de tropeiro e bolo de fubá.

 

 

                                                                                                                                                                                             

 Junho

Na Festa Junina, onde são comemorados alguns santos, são servidos diversos pratos a base de milho, muguzá doce e salgado, canjica, cuscuz, curau, pamonha, pé-de-moleque, doce de batata-doce, jerimum, arroz doce e bolos.

  

 

 

                                                                                                                                                                                                                                  

 Julho 

Em São Paulo, SP, mais especificamente no bairro da liberdade, bairro com a maior concentração de descendentes de japoneses, comemora-se a Tanabata Matsuri (a Festa das Estrelas).

 

 

                                                                                                                                                                                                                                                                 

 Agosto

Em São Paulo, SP, mais especificamente no bairro do Bexiga, bairro com a maior concentração de descendentes de Italianos, comemora-se a  Festa de Nossa Senhora da Achiropita onde come-se comidas típicas do sul da Itália, principalmente massas. No centro do Xingu, MT é realizada a maior festa indígena do Brasil o Quarup onde come-se peixes moqueado e mandioca.

 

 

                                                                                                                                                                                                              

 Setembro

 Em Porto Alegre, RS é comemorada a Semana Farroupilha com shows pratos e danças típicas. Em Alter do Chão, PA é comemorada a Festa do Sairé com pratos feitos com peixes da Região.

 

 

                                                                                                                                                                                                               

 Outubro

Na cidade de Belém, PA comemora-se o Círio de Nazaré onde é servido o pato no tucupi, a maniçoba, e o tacaca. Em Blumenau, SC é comemorada a Oktoberfest, onde são servidos o marreco com repolho roxo, eisben e kassler e muita cerveja. Em Itajaí, SC comemora-se a Marejada, na qual são apreciados o bolinho de bacalhau e a sardinha na brasa.

 

 

                                                                                                                                                                                                                 

 

 Novembro/Dezembro

 O final do ano trás o ciclo natalino, o qual é marcado pela presença do peru, do frango, do leitão, do pernil, das frutas cristalizadas ou secas, e o panetone em todas as Regiões do Brasil.

Read Full Post »

Diz-se que a culinária paraense é a mais autêntica do Brasil, por ter sofrido pouca  influência portuguesa e africana, mantendo raízes nativas. A base da alimentação são  os peixes dos grandes rios amazônicos (pirarucu, tambaqui, tucunaré e dourado),  frutos do mar, carne de pato e mandioca que se une a jambo e chicória do Pará  (diferente da consumida no resto do país), a nativa (folha da mandioca brava, a qual  deve ser bem fervida evitando assim o contato com o veneno).

No Pará impera o uso do tucupi, um caldo amarelo extraído da raiz da mandioca por  meio de um processo desenvolvido pelos índios no qual a mandioca é ralada (já  descascada) formando uma massa que é colocada em um recipiente chamado tipiti. O  tipiti fica pendurado até que todo o liquido escorra para outro recipiente. Esse liquido é então colocado para descansar por um dia. Nesse período a parte mais pesada fica no fundo e por cima fica um soro amarelo que é fervido originando o tucupi. Com a parte mais pesada faz-se a tapioca.

Os pratos mais conhecidos são: a maniçoba, o pato no tucupi, o tacacá, o caruru, o vatapá, casquinha de siri e caranguejo, a mojica, o arroz de marisco e a sopa de caranguejo. Os acompanhamentos são: a macaxeira, o muguzá, o cará cozido com sal, a unha de caranguejo e o chibé.

As sobremesas são feitas com frutas regionais, doces em calda, pudins, compotas, cremes e sorvetes, ambos feitos com bacuri, cupuaçu, açaí, taperoba, manga e murici.

Read Full Post »