Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘camarão’

O Bar e Restaurante Rota do Acarajé oferece na capital de São Paulo a culinária baiana com suas tradicionais comidas típicas e com um atendimento diferenciado.
São destaques: o acarajé, o abará, as moquecas, a carne-seca, a carne-de-sol, a quiabada, o escondidinho, o arrumadinho, o bobó de camarão, o cozido baiano, o bião de dois,entre outras especialidades.
A  cozinha conta com uma legítima baiana, a dinâmica Rose, experiente profissional especializada na culinária da Bahia, ela prepara a comida a vista de todos e dá todas as explicações sobre a feitura de cada prato.  Eles cuidam de uma freguesia fiel e selecionada e que aprecia o ambiente informal e agradável da Rota do Acarajé, bem como o ator Danny Glover que já frequentou o espaço.

Rua Martim Francisco, 529/533 – Santa Cecília – São Paulo – SP

Fones: 3668-6222/ 3825-3984

A cozinha funciona de terça-feira à sábado das 12h as 23h e Domingos até as 18:30h.

 

 

 

Read Full Post »

O camarão na moranga é um prato típico da culinária praiana do Brasil, preparado com a abóbora de formato típico chamada moranga, recheada com camarão e queijo fundido. Há uma festa dedicada a este prato na cidade de Bertioga.

Receita by Edu Guedes
Foto by Douglas Aby Saber


Ingredientes:

1kg de camarão pequeno limpo
4 camarões grandes com rabo
suco de 1 limão
sal
pimenta
1 colher (sobremesa) de manteiga
1 colher (sopa) de azeite
1 cebola
3 tomates
2 dentes de alho
1 tablete de caldo de legumes
1 colher (sopa) de molho de tomate
1 xícara de (chá) de creme de leite
2 colheres (sopa) de salsa picada
2 colheres (sopa) de cebolinha picada
1 ½ xícara (chá) de requeijão cremoso
1 moranga média

Modo de preparo:

Tempere os camarões com limão, sal e pimenta. &nbspEm uma panela, derreta a manteiga com o azeite e refogue a cebola e o alho. Junte os tomates e refogue um pouco mais. Acrescente o molho de tomate, o caldo de legumes e os camarões. Cozinhe por 3 minutos.

Abra a moranga, retire as sementes e parte da polpa. Pincele com azeite por dentro e por fora. Cubra com papel alumínio e leve ao forno com água quente até o topo com sal por aproximadamente 20 minutos no microondas e por 1h e30 min a 250° C.

Retire. Coloque no fundo um pouco de requeijão, em seguida coloque o recheio e cubra com o restante do requeijão. Leve novamente ao forno para gratinar. Refogue os camarões grandes para decorar. Sirva com arroz branco.

Read Full Post »

Aproveitando esse friozinho (chato) e pensando em como seria bom estar num lugar quente, lembrei da Bahia = Moqueca de camarão!

Segundo a Wikipedia,  a moqueca é de origem indígena, e originalmente feita numa grelha de varas ou ainda apenas folhas de árvores cobertas por carvão (o que era chamado “moquém”).

A moqueca baiana, conhecida apenas por “moqueca” em diversas regiões do país, inclui em sua receita tradicional o leite de coco e azeite de dendê.

A moqueca atual não é assada, e sim refogada.

Abaixo segue a receita da deliciosa a moqueca de camarão feita por Edu Guedes.

Ingrediantes:
1 kg de camarão médio limpo
1 pimentão vermelho cortado em fatias
1 cebola média cortada em fatias
1 colher (sopa) de suco de limão
4 colheres (sopa) de azeite de oliva (pode ser substituído por azeite de dendê)
Sal a gosto
Pimenta-do-reino a gosto
1 xícara (chá) de leite de coco
Coentro picado a gosto
Salsinha picada a gosto

Modo de preparo:
Coloque em uma travessa o camarão, o pimentão, a cebola, o suco de limão, metade do azeite de oliva (ou dendê), o sal e a pimenta-do-reino.
Deixe descansar por 20 minutos.
Em seguida, coloque em uma panela, acrescente o restante do azeite de oliva e leve ao fogo médio por 15 minutos.
Acrescente o leite de coco, o coentro, a salsinha, misture e deixe ferver por alguns minutos.

Receita: site Edu Guedes.
Foto: Autor desconhecido.

Read Full Post »

Começou a ser colonizada em 1585 e o seu marco inicial foi o Forte de São Felipe, construído para de se fender dos ataques franceses.

A culinária paraibana tem influencia portuguesa, indígena e africana, utiliza-se ingredientes como a mandioca, a carne de sol e o milho. Dos portugueses veio o preparo dos caldos e ensopados, principalmente de peixes e frutos do mar. Dos índios o uso da mandioca, do milho e carnes dos pescados e das caças. Dos africanos a utilização do coco, do azeite-de-dendê e da pimenta.

Os pratos que representam a culinária paraibana são as pescadas, os ensopados de frutos do mar e as preparações com carne seca, como a paçoca, ou assada ou frita na manteiga-de-garrafa, acompanhada de farinha de mandioca.

No litoral há grande número de espécies de peixes e frutos do mar, beijupirá, pescada, badejo, arraia, agulha, cavala, camarões, lagostas e caranguejos. Nas peixadas é utilizado o leite de coco e temperos verdes (cebolinha, salsinha e coentro), na composição do molho, além da cebola, do urucum e fubá, é acompanhada de arroz branco e pirão. Os peixes são fritos ou assados. O camarão, a lagosta, a lula e as outras são preparado com leite de coco. Porém o prato mais típico do litoral paraibano é o ensopado de caranguejo.

Devido à escassez de alimentos vegetais e frescos no sertão, a culinária é à base de carne de sol (feita de carne de boi, carneiro ou bode).

Em especial, a cidade de Cabaceiras tem o maior rebanho caprino, por ter o menor índice pluviométrico do Brasil, sendo estes animais mais resistentes a essa condição. Com a carne do gado caprino são feitos cabrito assado, carne de sol de cabrito, lingüiça e buchada. Curiosamente, também existem a pizza de bode e o sanduíche Mcbode.

É também muito consumida a galinha caipira.

Com o milho é preparado o xerém, a canjica, a pamonha e o cuscuz.

O queijo coalho e a manteiga-de-garrafa estão presentes em quase todas as receitas.

Como doces e sobremesas temos a cartola, a pamonha, o pé-de-moleque, a tapioca com recheio doce, o queijo coalho assado com mel de engenho, a torta de castanha de caju, a coalhada com rapadura e os doces de caju, goiaba e outras frutas regionais.

Read Full Post »

Older Posts »