Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘bolo’

Este não tem nem como recusar! Mesmo os que são fãs do salgado (como eu) se rendem à uma delícia dessas.

Baba de Moça (não acho um nome muito agradável para um doce… rs) é típico da culinária do Brasil. É um dos doces mais tradicionais e requintados, referido desde o Império.

A parceria entre bolo (originário do Egito Antigo) e chocolate (América pré-colombiana) existe há mais de três séculos e continua dando certo no mundo todo, virou um doce “universal”.

Receita/foto by Mariza Plácido – Bem Feitinho

Ingredientes:

Massa:

20 claras em neve
50g de açúcar
75g de chocolate em pó meio amargo, aproximadamente 1 xícara

Recheio Baba de Moça:

400g de açúcar
250ml de água
1 collher (café) de essência de baunilha
20 gemas
 
Modo de preparo:

Massa:

Bata as claras até obter o ponto de neve. Com a batedeira ligada, adicione o açúcar e bata até obter uma massa consistente. Desligue a batedeira, acrescente o chocolate em pó e misture com uma colher. Unte uma fôrma com manteiga e farinha e coloque a massa no forno pré-aquecido a 180°C por aproximadamente 10 minutos.

Recheio Baba de Moça:

Em uma panela, coloque a água e o açúcar. Leve ao fogo e mexa apenas no início para que fique homogêneo. Depois não há necessidade de mexer. Mantenha em fogo médio até que a calda fique no ponto fio. Deixe esfriar.

Em seguida, misture os ovos e a essência de baunilha. Coloque toda a mistura novamente no fogo e mexa até engrossar. Disponha a massa sobre uma folha de plástico (de congelamento).
Distribua o recheio por toda a massa e reserve uma parte para a decoração. Enrole a massa com o plastico e leve à geladeira por aproximadamente 3 horas. Com o recheio reservado, decore o topo do bolo e polvilhe com chocolate em pó meio amargo.

Anúncios

Read Full Post »

A culinária sofreu influencias dos índios, africanos e portugueses, Suas principais matérias-primas são os peixes, legumes ervas e raízes.

Conseguiu sua independência somente em 1799 sendo desmembrado de Pernambuco.

Da pesca vêm os peixes, as lagostas, o camarão e o caranguejo. Dos produtos cultivados temos a macaxeira, a batata-doce, o coco, o milho, o feijão, o arroz e a cana-de-açúcar.

Por no passado ter sido um grande distribuidor de couro, ficou por herança o uso da carne seca, pois assim, durava mais após o abatimento do gado somente para a venda do couro não sendo vendida a carne em grande escala.

Pratos típicos são a peixada, a lagosta cozida ou grelhada, o pargo no sal grosso, a panelada, o baião de dois, a carne de sol e o sarrabulho.

Na região costeira prevaleceram os pratos a base de peixe e frutos do mar, embora sejam consumidos pratos com carne de sol e galinhada. Entre os peixes há preferência pelo pargo e pelo serigado (perfeitos para a peixada). A peixada é servida com pirão de farinha de mandioca cozida no caldo feito com a cabeça do peixe. Com os peixes pescada-amarela, garoupa, cavala, robalo, guaiuba e o jupirá, alem da peixada é feita a uma sopa com cebola, pimentão, tomate e cheiro-verde. Quando fritos, são cortados em filés e cobertos com molho de camarão e tomate.

A lagosta, um ícone da culinária, é preparada de forma simples, a fim de preservar o seu sabor. O camarão é muito apreciado e é preparado de várias maneiras, camarão ao leite de coco, caldeirada ou mariscada e camarão frito ao alho e óleo. Com o caranguejo é feita a caranguejada, assim como as patinhas de caranguejo a milanesa, muito consumida nos bares da orla, juntamente com a ostra e  o siri.

Entre os doces e as sobremesas há bolo de milho, pé de moleque, muguzá, canjica e a tapioca.

Do interior do Estado vêm os pratos sertanejos, carne de sol com paçoca servida com macaxeira ou pirão de leite, o baião de dois, a galinha de cabidela, a galinha de capoeira e o capote (nome regional para a galinha d angola). Para acompanhar são servidos o cuscuz, a farofa do sertão ou farofa de cuscuz.

Outros pratos com temperos mais fortes e sabores acentuados o sarrabulho (um picadinho feito com as vísceras e o sangue do porco), na Bahia e em Pernambuco é chamado de sarapatel, o guisado de carneiro ou de cabrito, a buchada de carneiro ou de cabrito e a panelada. Para acompanhamento, arroz e pirão feito de ossobuco, vinha d alho, tomate, cebola, pimentão e cheiro-verde.

Na região do Cariri, onde estão as cidades de Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Santana do Cariri e Nova Olinda há um ingrediente que é utilizado para temperar tanto o arroz quanto a carne, o pequi (uma semente amarelada e de odor marcante, também comum em Goiás).

Read Full Post »