Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘aves’

Essa receita além de curiosa é criativa. Quem disse que não temos nosso próprio sushi? 🙂

INGREDIENTES 

1kg de peito de frango (sem osso e moído)
Sal e pimenta do reino a gosto
2 folhas de couve manteiga cozidas e cortadas em tiras sem o talo (20cm X 10cm)
2 xícaras (chá) de arroz cozido misturado com 3 colheres (sopa cheia) de cream cheese
1 cenoura pequena cortada em tiras finas
2 ovos misturados com ½ xícara (chá) de leite
Gergelim branco para empanar

MODO DE PREPARO 

Numa tigela tempere o peito de frango com sal e pimenta do reino a gosto. Divida o frango moído em 10 partes (100g cada). Coloque uma parte sobre um saco plástico aberto e forme (com o frango moído) um retângulo (16cm X 8cm). Sobre este retângulo coloque 1 tira de couve manteiga, espalhe uma porção de arroz e por último coloque tiras de cenoura cozida. Com a ajuda do saco plástico enrole o retângulo, unindo as pontas, apertando bem para que o recheio não vaze, formando um cilindro. Transfira para a geladeira para firmar por 2 horas. Repita o mesmo procedimento com o restante do frango. Passe o cilindro de frango nos ovos misturados com leite e empane no gergelim branco. Frite em óleo quente (170°C) até dourar (cerca de 4 minutos), corte em rodelas e sirva com molho de teriaki tradicional ou molho teriaki de tangerina ou laranja.

Reprodução Mais Você/Foto: Daniela Meira

 

Anúncios

Read Full Post »

Para o almoço do domingo, que tal um frango saudável?

INGREDIENTES 

4 coxas com sobrecoxas de frango sem pele (mais ou menos 1 kg)
Suco de 1 limão
Sal a gosto
170g de iogurte natural (1 copo)
3 dentes de alho amassados
1 colher (chá) de gengibre em pó
1 colher (chá) de páprica picante em pó
60g de queijo parmesão ralado
Folhas de hortelã picadinha
1 xícara (chá) de miolo de pão ralado

MODO DE PREPARO 

Deixe de molho numa tigela as coxas com sobrecoxas de frango sem pele com suco de limão por aproximadamente 15 minutos. Escorra as coxas com sobrecoxas e tempere com sal a gosto. Reserve.

Numa tigela coloque o iogurte natural, os 3 dentes de alho amassados, 1 colher (chá) de gengibre em pó, 1 colher (chá) de páprica picante em pó, 60g de queijo parmesão ralado, folhas de hortelã picadinha, sal a gosto, e 1 xícara (chá) de miolo de pão ralado. Misture bem até formar uma pasta homogênea.

Arrume numa assadeira untada com azeite as coxas com sobrecoxas, com a parte da carne virada para cima, espalhe o creme de iogurte em cada coxa com sobrecoxa, cobrindo-as totalmente. Leve ao forno médio pré-aquecido a 180°C por cerca de 1 hora ou até dourar. Retire do forno e sirva em seguida acompanhado de salada verde.

Reprodução Mais Você

Read Full Post »

O arroz é a alma do comer maranhense, que foi trazido da Ásia pelos colonizadores portugueses, o que fez com que o Maranhão exportasse o produto para a Europa no fim do período colonial.

Com o excedente de produção do arroz, o maranhense passou a consumir-lo de várias formas, os mais típicos são arroz de toucinho, arroz de caranguejo, arroz de carneiro, arroz de galinha e arroz de cuxá, o mais famoso.

O arroz de cuxá é típico das cidades de São Luís e de São José do Ribamar, que ocupam a mesma ilha. Possui como base a vinagreira (conhecida em outras partes do país por azedinha, rosela e quiabo-azedo), que foi trazida da África. Para a montagem do prato são unidas a ela o gergelim torrado, a farinha de mandioca, a erva joão-gomes, a cebolinha, o camarão seco e a pimenta de cheiro ou malagueta. O cuxá na mistura com o arroz, também serve de acompanhamento para tortas de camarão, sururu, caranguejo, peixes fritos e pescados.

A culinária maranhense sofreu influencias dos portugueses, índios e africanos. Dos portugueses ficaram os guisados e cozidos de carne, aves, peixes e frutos do mar, que foram unidos a macaxeira, o quiabo, o jerimum (ou abóbora), a batata-doce, o cará e o inhame. Dos indígenas veio a grande utilização da macaxeira. Dos africanos o colorido dos pratos.

Come-se a macaxeira na forma de farinha d água ou farinha de puba (chamada de carimã) e delas são feitas as paçocas, as farofas, os pirões e os mingaus.

Por estar próximo a Região Norte e sendo pertencente a Região Nordeste, sua culinária reúne ingredientes das duas Regiões.

O Estado é rico em frutas como cupuaçu, bacuri, buriti e murici.

O litoral oferece grande variedade de peixes (pescada-amarela – predileto ao paladar maranhense – , mero, peixe-pedra, tainha, robalo e anchova) e frutos do mar (lagostas, tariobas, camarões, sururus e caranguejos) com os quais são feitos vários pratos, em especial as tortas. Acompanham esses peixes o arroz de cuxá ou branco e a banana à milanesa.

Do sul do Estado, a carne de sol é feita com vários cortes de carne bovina a qual também serve de base para vários pratos como mocotó, chambaril (ou ossobuco) e a rabada. As carnes de carneiro e de bode também são apreciadas, principalmente na buchada. Também são apreciados galinhas, capote (galinha d angola) e porco, tendo por acompanhamento a macaxeira cozida, banana à milanesa, arroz branco, paçoca de carne seca e farinha d água.

Read Full Post »