Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Pernambucana (Pernambuco)’ Category

Para finalizar as receitas juninas, comemorando o final do mês com a Bolinha de Pipoca!

INGREDIENTES

– 80 g de pipoca estourada
– 1/3 xícara (chá) de açúcar
– 1/3 xícara (chá) de glucose de milho branca
– 250 g de pasta de amendoim
– margarina para untar as mãos

MODO DE PREPARO

Numa tigela e com as mãos quebre grosseiramente 80 g de pipoca estourada e reserve.
Numa panela derreta 1/3 xícara (chá) de açúcar até obter uma calda com cor de guaraná (+/- 8 minutos). Junte 1/3 xícara (chá) de glucose de milho branca e 250 g de pasta de amendoim, mexa muito bem e desligue o fogo imediatamente.
Despeje (o creme feito acima) sobre a pipoca quebrada e misture com as mãos até que toda a pipoca esteja envolvida no creme. Com as mãos forme bolinhas do tamanho desejado.

DICA: é importante trabalhar com a mistura do creme com a pipoca quente para fazer as bolinhas. Caso a mistura esfrie é só colocar no microondas para voltar a textura ideal de trabalhar.

Receita do site: http://anamariabraga.globo.com

Anúncios

Read Full Post »

A maior satisfação do Restaurante Andrade é dizer que durante toda sua existência tem  recebido milhares de clientes e amigos de terça à domingo para saborear suas receitas e  arrastar o pé dançando ao som do contagiante ritmo Brasileiro, o legítimo Forró Pé-de-  Serra. Em pouco tempo de boteco, sentiu-se na obrigação de conhecer melhor a fórmula dos  pratos típicos do Nordeste. Mais de duas décadas se passaram e o “boteco”  do Andrade tornou-se o Restaurante Típico mais conhecido de São Paulo, onde o sabor do  tempero do Nordeste se mistura com Forró. Tem feijão de corda, peixes, moquecas e  a  delicosa Carne Seca Desfiada com Creme de Jerimum, Creme de Mandioca e Queijo de Coalho  ao Forno.

Funcionamento da casa:

Almoço: terça a domingo:das 12 as 15hs

Sábado: das 12 as 16hs. Domingo: das  12 as 17hs com musica ao vivo!

Jantar: terça a sábado: a partir das 19hs sempre com musica ao vivo!

Restaurante Andrade

R. Artur de Azevedo, 874 – Pinheiros – Z.Oeste

Fone: (11) 3085-0589 | 3064-8644


Read Full Post »

O Cordel da Vila oferece menu contemporâneo de raízes nordestinas, servido em ambiente decorado com cordéis. O Restaurante Cordel resgata o sabor da cultura nordestina com ênfase pernambucana, trabalha os fortes e marcantes sabores que vâo do litoral ao sertão e convida o público paulista para degustar a originalidade de suas iguarias de sofisticação natural em um ambiente descontraído, arborizado e moderno no coração da Vila Madalena.

Desde o filé de peixe com castanha de caju tostada e arroz de coco ou o filé de peixe ao molho de manga e arroz de abobrinha que tem um sabor marcante e diferente por seus ingredientes inusitados, misturando frutas como o  filé de peixe ao molho de acerola acompanhado com purê de mandioquinha.

 Entre as sugestões, a chapa Cordel, que mistura carne-de-sol, mandioca frita, farofa,  vinagrete e feijão-de-corda. Para adoçar, a recifense cartola, feita com camadas de  banana caramelizada coberta com queijo de manteiga derretido e polvilhado com  açúcar e canela.

 Cordel Restaurante e Bar

 Rua Aspicuelta, 471 – Vila Madalena

Tel: (11) 3375-0471 Região Oeste – M. Sumaré

Read Full Post »

Para os apreciadores de mandioca (no bom sentido… rs), o famoso Escondidinho de Carne Seca é de origem pernambucana. O prato é de simples preparo e combina com um delicioso arroz branco.

Vamos para a parte que importa, A RECEITA (by Edu Guedes). =)

 

 

Ingredientes
1 xícara (chá) de azeite de oliva
2 cebolas em rodelas
1 kg de carne seca dessalgada, cozida e desfiada
1 xícaras (chá) de salsinha picada
2 kg de mandiocas descascadas, cozidas com sal e espremidas
1 xícara (chá) de leite
2 colheres (sopa) de margarina
3 xícaras (chá) de requeijão
1 xícara (chá) de queijo parmesão ralado grosso
Acompanhe as novas receitas no Twitter
Conheça a nossa página no Facebook

Modo de preparo
Preparo: Em uma panela, aquecer o azeite e dourar a cebola
Acrescentar a carne seca, refogar e depois colocar a salsinha
Reservar
Em outra panela, colocar as mandiocas espremidas, acrescentar o leite, a margarina e o requeijão
Misturar.

Montagem: Em um refratário, colocar uma camada do creme de mandioca, colocar a carne seca já refogada e cobrir com o restante do creme
Polvilhar queijo ralado e levar para gratinar a 180ºC por 15 minutos.

(Receita exibida em 23/06/09 no programa Hoje em Dia da TV Record)

Read Full Post »

A história de Pernambuco esta muito ligada ao açúcar, graças a sua terra propicia para  o cultivo da cana-de-açúcar, o que atraiu os olhares ambiciosos dos colonizadores,  ocupando-a com o desejo de cada vez mais produzir e lucrar com essa matéria prima  tão valiosa na época.

A culinária pernambucana recebeu influencias de elementos que compõem sua  população: dos africanos, o gosto pela pimenta, a utilização do azeite-de-dendê e coco;  dos indígenas o milho, a mandioca e a batata; dos portugueses herdou as técnicas no  preparo de cozidos e caldos.

Sua cozinha tem pratos criados tanto nas casas-grandes como nas senzalas, nas aldeias como nos mosteiros, na lida do sertão e também a beira-mar e pode ser dividida entre cozinha do litoral, composta por peixes e frutos do mar e a cozinha do interior do Estado, composta por carne de sol e de bode.

No litoral da capital Recife e da histórica Olinda são comuns a lagosta, o camarão, o marisco, o caranguejo, o guaiamum, o siri, o sururu, o aratu, o polvo, a ostra, e os peixes robalo, tainha, beijupirá, cavala, cioba, agulha entre outros, também são comuns os caldinhos de peixe. Com esses ingredientes são preparadas a moqueca, e as peixadas, tendo por acompanhamento o pirão, feito do caldo do cozimento do próprio pescado. Também feitos com os frutos do mar temos as fritadas e o baião de dois. Não esquecendo do camarão na moranga, e a tapioca.

No interior seus pratos possuem pouca variação entre o Agreste, a Zona da Mata, o Sertão e o Vale de São Francisco, sendo eles: galinha de cabidela, baião de dois (agora composto por feijão de corda, arroz, charque, e queijo coalho), dobradinha, carne de sol com manteiga de garrafa, chambaril (ossobuco), charque, mão de vaca, buchada de bode ou carneiro, bode guisado ou assado, cozido pernambucano, arrumadinho, feijoada, sarapatel, maxixada e rabada. Os acompanhamentos são arroz mexido, cuscuz de milho ou mandioca, inhame, feijão verde, macaxeira, jerimum, paçoca de carne seca com farinha de mandioca, manteiga de garrafa, angú salgado e xerém. Os pescados de água doce são aruá, carí, muçum e surubim.

Nos doces e bolos encontramos grande influencia portuguesa, com a utilização de frutas tropicais como goiaba, guarabiraba, jaca, jambo-roxo, mangaba, caju, carambola e araçá. Entre os seus doces e sobremesas temos a baba de moca, as cocadas, os bolos Souza Leão, os bolos de rolo e o pé-de-moleque, mas as sobremesas prediletas dos pernambucanos são a cartola (feita de banana frita, queijo coalho e polvilhada de açúcar) e queijo coalho com mel de engenho.

Read Full Post »