Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Gaúcha (Rio Grande do Sul)’ Category

Receita típica do Rio Grande do Sul!

Pode ser feita sem o coco ralado. Simples e extremamente saborosa. Mandem bala… fica uma delícia!

Receita by Tudo Gostoso
Foto by Rainhas do Lar

 

 

 Ingredientes:
 
300g de abóbora em cubos
1/2 xícara de agua
4 colheres sopa de açúcar
2 cravos da índia
1 pau de canela
4 colheres sopa de coco fresco ralado

Modo de preparo:
 
Misture os ingredientes, menos o coco ralado, e leve ao fogo com a panela tampada, mexendo de vez em quando até começar a demanchar. Retire do fogo acrescente o coco ralado e sirva frio.

Anúncios

Read Full Post »

Originário do Rio Grande do Sul, o Arroz de Carreteiro surgiu quando os transportadores de cargas que atravessavam o sul do Brasil em carretas puxadas por bois, cozinhavam em panela de ferro uma mistura de charque (carne de sol) picada com arroz.

Sem contar com geladeira e, tampouco, ter como congelar a carne, o carreteiro valia-se da carne de sol, que no Rio Grande do Sul é conhecida como charque (preparado nas charqueadas), e esta se conservava durante os muitos dias da viagens empreendida pelo carreteiro transportador de cargas. Este, diferente dos mascates (caixeiro-viajante – comerciante ambulante), que, em geral, se valiam de carroças puchadas por cavalos, não ia de casa em casa ou de estância em estância, mas seguia entregando suas cargas pelo menor curso direto ao destino.

Receita by Cyber Cook
Foto by Maria José

Ingredientes:
 
5 kg de arroz
1 1/2 kg de bacon
4 kg de carne seca
2 kg de lingüiça calabresa defumada
2 kg de lingüiça mista
1 kg de cebola
2 cabeça(s) de alho
500 ml de óleo de soja  

Modo de preparo: 
 
Corte a Carne Seca em cubo e ferva 2 vezes trocando de água a cada fervura para retirar o excesso de sal. Frite o bacon até dourar e reserve, frite as lingüiças e reserve. Em seguida coloque o alho e depois a cebola e deixe refogar até dar o ponto. Em seguida coloque a carne seca ,a lingüiça e o bacon, deixe dar uma boa refogada depois coloque o arroz , e frite. Coloque a água fervente o necessário e deixe secar até servi-lo.

Read Full Post »

 Quase mais ninguém sabe. O rodízio Angélica Grill ocupa o mesmo local  onde no passado estava o palacete da baronesa Maria Angélica de Sousa  Queirós de Barros, uma das responsáveis pela urbanização de Santa Cecília,  homenageada no nome da avenida. O logradouro é uma referência  histórica para a cidade de São Paulo, onde este nobre casal responsável  pela fundação do bairro Higienópolis vivia em um palacete inspirado no  Palácio de Chalottenburg, Alemanha. Luxuoso e caro em seus primeiros  anos, o restaurante passou por uma redução nos preços e ganhou  popularidade. É possível provar 23 cortes, entre os quais picanha,  maminha, lombo e coxa de frango. Além de saladas, o bufê conta com  cinco pratos diferentes a cada dia. O Angélica Grill dispõe de uma  diversificada Carta de Vinhos com rótulos do Novo e do Velho Mundo, elaborada para harmonizar perfeitamente como as diversas Carnes Nobres do cardápio.

Todas as sextas-feiras, o cliente Angélica Grill desfruta do Especial “Peixes e Frutos do Mar”, com um cardápio especial e diferenciado com: Paella Valenciana, Filhote de Piraíba, Salmão grelhado, Lula à dore, Patês de camarão, Casquilha de siri, Frutos do mar no Buffet.

Angélica Grill

Av. Angélica, 430 – Higienópolis – São Paulo – Região Oeste

Telefone:(11) 3664-0070

Read Full Post »

Uma festa popular é um ato de preservação das tradições de um povo. Um dos aspectos que mais caracterizam as tradições é a culinária. No Brasil não é diferente, cada Estado  tem a culinária específica para cada festa.

Janeiro

A Festa de Reis é comemorada em todo o país. Tradicionalmente, em comemoração a São Sebastião come-se bacalhau no Pará, na Bahia, no Ceará e no Maranhão.

 

 

 

 

Fevereiro

O Carnaval é comemorado de varias formas por todas as partes do país, os mais famosos são os comemorado no Rio de Janeiro e na Bahia. Na Bahia come-se filhoses, bolinhos de trigo com ovos e manteiga, escaldado em água fervente, depois frito e servidos com calda de açúcar, cravo, erva-doce e canela.

 

 

 

 

 

 

                                                                                                                                                            

 Março/Abril

 É comemorada a Semana Santa, onde na sexta-feira da Paixão não se come carne vermelha, aumentando bastante o consumo de peixes, principalmente o bacalhau. No Espírito Santo come-se a torta capixaba que leva peixes e mariscos.

 

 

 

 

Maio

 A Festa do Divino Espírito Santo é comemorada em todo o Brasil. E Pirenópolis, GO é ser galinha, empadão goiano, arroz com pequi e leitão à pururuca. Em Diamantina, MG há pão de queijo, feijão de tropeiro e bolo de fubá.

 

 

                                                                                                                                                                                             

 Junho

Na Festa Junina, onde são comemorados alguns santos, são servidos diversos pratos a base de milho, muguzá doce e salgado, canjica, cuscuz, curau, pamonha, pé-de-moleque, doce de batata-doce, jerimum, arroz doce e bolos.

  

 

 

                                                                                                                                                                                                                                  

 Julho 

Em São Paulo, SP, mais especificamente no bairro da liberdade, bairro com a maior concentração de descendentes de japoneses, comemora-se a Tanabata Matsuri (a Festa das Estrelas).

 

 

                                                                                                                                                                                                                                                                 

 Agosto

Em São Paulo, SP, mais especificamente no bairro do Bexiga, bairro com a maior concentração de descendentes de Italianos, comemora-se a  Festa de Nossa Senhora da Achiropita onde come-se comidas típicas do sul da Itália, principalmente massas. No centro do Xingu, MT é realizada a maior festa indígena do Brasil o Quarup onde come-se peixes moqueado e mandioca.

 

 

                                                                                                                                                                                                              

 Setembro

 Em Porto Alegre, RS é comemorada a Semana Farroupilha com shows pratos e danças típicas. Em Alter do Chão, PA é comemorada a Festa do Sairé com pratos feitos com peixes da Região.

 

 

                                                                                                                                                                                                               

 Outubro

Na cidade de Belém, PA comemora-se o Círio de Nazaré onde é servido o pato no tucupi, a maniçoba, e o tacaca. Em Blumenau, SC é comemorada a Oktoberfest, onde são servidos o marreco com repolho roxo, eisben e kassler e muita cerveja. Em Itajaí, SC comemora-se a Marejada, na qual são apreciados o bolinho de bacalhau e a sardinha na brasa.

 

 

                                                                                                                                                                                                                 

 

 Novembro/Dezembro

 O final do ano trás o ciclo natalino, o qual é marcado pela presença do peru, do frango, do leitão, do pernil, das frutas cristalizadas ou secas, e o panetone em todas as Regiões do Brasil.

Read Full Post »

Os elementos mais importantes da culinária gaúcha são: o charque, o chimarrão e o churrasco (feito de uma forma bem particular, onde, na planície tranqüila, o fogo aceso dentro de um buraco cavado na terra e em volta dele, em espetos fincados no chão, a carne é assada).

O Estado tem grande ligação com a criação de gado, onde a mais de dois séculos, distribuía para todo o território brasileiro e até mesmo para outros paises o couro do gado, a carne que sobrava era cortada em mantas conservada pelo processo de desidratação com o uso do sal grosso. Os carreteiros, distribuidores do couro pelo país uniam essa carne menos perecível com o arroz, fazendo assim surgir um dos pratos mais famosos do Rio Grande do sul, o arroz de carreteiro.

O charque (carne seca) é consumido também de outras formas, assado na brasa ou ao forno, acompanhado de mandioca, abóbora-moranga, feijão-verde e batata doce, além de farofa.Outro prato com charque é o entrevero, feito com pinhão, liguiça, bacon, tomate, pimentão e orégano.

A culinária gaúcha sofreu influências dos portugueses, espanhóis e indígenas. Dos índios veio a técnica do fogo de chão, pois colocavam a carne de caça e dos peixes em buracos feitos no chão e forrados com folhas verdes, terra e ramos, nos quais ateavam fogo, no calor da terra a carne era assada e ficava com o aroma despendido das folhas. Com a chegada dos portugueses e dos espanhóis, a carne começou a ser assada em espetos de madeira que com o passar dos anos foi substituído por espetos de ferro e mais tarde pelos de aço inoxidável.

Os gaúchos não apreciam somente a carne bovina, também consomem o espinhaço de ovelha, o cordeiro-mamão, cabrito e leitão, temperados apenas por sal grosso e assados na churrasqueira, porém a carne preferida deles é a costela bovina, acompanhada por farinha de mandioca. Outros pratos são o arroz branco, feijão mexido, o quibebe (purê de abóbora-moranga) e a paçoca de pinhão.

Com a chegada dos italianos, foram concedidos pequenos lotes, onde conseguiam plantar somente produtos para a subsistência, como milho, trigo e verduras, sendo impossível ter criações, a solução encontrada foi caçar passarinhos, os quais eram assados na brasa e servidos com polenta, o que originou o galeto al primo canto, que hoje é o frango abatido ao ‘‘primeiro canto’’ entre os 25 e 30 dias de vida. Outros pratos agregados a dieta do Estado foram o capeletti in brodo, o espaguete, o linguini e o radicchio com bacon. Aos italianos também é atribuída a disseminação do uso do alho, do tomate, da pimenta, do vinho e do limão, além da maionese e das saladas que servem de acompanhamento.

Read Full Post »